terça-feira, 2 de outubro de 2007

Chicotadas.

A consagração de Lewis Hamilton numa corrida onde a destreza comum ao pilotos da Fórmula 1 ficou em evidência, não se enxergava muita coisa mas os jovens estavam lá com seus carros a 300 km/h.
Chicotadas:

- Lewis Hamilton, além de estar a um passo do título, mais uma vez colocou em xeque o talento de Fernando Alonso ao abrir vantagem sobre ele debaixo de chuva. Errou menos e foi mais rápido. Afinal o que mais se pode esperar do estreante?

- Parece que existe uma espécie de "tocha" que se passa de campeão a campeão. Para Schumacher ser campeão, Senna bateu, para Alonso ser campeão Schumacher estourou seu motor depois de dezenas de corridas sem nunca isso ocorrer e agora Alonso bate depois de 14 provas seguidas marcando pontos. Parece que cada um tem seu ano e parece que esse é o ano Hamilton, por isso apostei minhas fichas nele.

- Que bobagem que a Ferrari cometeu, com aquele dilúvio mandar seus carros com pneus intermediários foi atitude de amador ou até de desespero na procura de um milagre. E Felipe Massa ainda vem com a história de que Raikkonen recomendou esse pneus. Quem foi mais "estúpido"?

- Falando em besteiras por que diabos Felipe resolveu ultrapassar com o safety car? Foi a segunda vez no ano que o brasileiro simplesmente ignora as regras. E se deu mal nas duas.

- Vendo o lado bom foi um grande desempenho do brasileiro. Quem acompanhou pelo live timing viu que Felipe tinha um grande rimto de corrida, era bem constante. Em poucas voltas alcançava quem estava à sua frente, e passou vários carros. Não deveu nada a Kimi Raikkonen, na verdade sua volta mais rápida foi melhor que a do finlandês. E andou o tempo todo bem pesado.

- Será que Felipe deixou pra trás a imagem de que anda mal na chuva?

- Corridaça de Vettel e Kovalainen, dois pilotos ainda verdes, mostraram que têm talento e devem ser observados com atenção. Kovalainen a cada corrida vai enterrando mais Fisichella.

- Mesmo jogando fora seu primeiro pódio Vettel ainda merece aplausos. E Mark Webber também.

- A imagem de Vettel chorando foi realmente tocante. Uma emoção a mais nesse esporte.

- Uma coisa bem curiosa foi a reação dos mecânicos quando Fernando Alonso bateu forte. Não houve reação. Alonso plantou, domingo colheu.

- Essa era uma corrida daquelas para Rubens Barrichello marcar seu ponto de honra esse ano. Pelo que já correu em sua carreira essa temporada não faz jus ao que ele representa como piloto de Fórmula 1. Pode não ter sido um gênio, mas sempre demosntrou ser rápido e batalhador. Mais do que vários de seus contemporâneos.

- No fim das contas a corrida não teve tantos abandonos como poderia ter havido. Ainda bem.

5 comentários:

Felipe Maciel disse...

A segunda chicotada foi curiosa, bem observado.

Sacker, o que quis dizer com vários de seus contemporaneos? Não seria conterrâneos? Me deixou confuso essa.

Abs

Sakher disse...

Queria colocar que vários pilotos da mesma geração de Rubens Barrichello não andaram no mesmo nível do brasileiro. Mas infelizmente como ele é brasileiro Rubinho é constantemente ridicularizado e é motivo de chacota.

Café com F1 disse...

Corridassa do Vettel né, pena que houve aquele incidente...

Anônimo disse...

Restou falar sobre a dúvida que ficou no ar...será que o Massa precisava mesmo ter feito a 4ª parada ou a Ferrari pediu que ele viesse aos boxes para que Kimi marcasse mais pontos ?!?!
Abraços,
Z.

Gil disse...

Pois é, digo sempre e repito: este ano o Rubinho vem mostrando seu valor com aquela carroça da Honda.