terça-feira, 8 de maio de 2007

Rock'n Roll ou Música Tecno?

Grande Ron Groo que em seu blog foi inteligentemente irônico sobre o panorama atual da Fórmula 1 em relação essa pipocada de etapas em países sem tradição no automobilismo, como China, Bahrein e Malásia. Como somos informados sobre os meios de comunição que em termos de infra-estrutura esses países fornecem o palco perfeito para receber um envento grandioso e milionário e que existe um público em quantidade obscena, então a FIA está de parabéns. Bem...
Passamos um campeonato sem Spa, agora perdemos o gp na França então começamos a pensar; até onde é bom a Fórmula se globalizar dessa maneira?
Desde que começaram a cair algumas equipes tradicionais como Tyrell e Lotus, o processo de tranformação de um campeonato de pilotos, personalidades e escuderias para uma disputa de marcas globais (não só de automóveis) e super atletas não parou mais. Perdeu a graça? Na verdade acredito que um pouco sim foi perdido. Na verdade perdeu bastante. A rastejante Willams ano passado foi o símbolo dessa era. Uma pena. A terceira maior equipe da história da competição não pontuando na maioria das etapas é algo que simplesmente a FIA não devia permitir. Não foi falta de boa administração, simplesmente uma equipe independente, mesmo que riquíssima como a Willams não tem espaço na ponta do grid.
Tudo no circo está ficando grandioso demais; os egos, os motorhomes, as declarações sem valor algum.
E quanto às regras que focaram a segurança e o marketing?
Não sentimos mais que vemos uma corrida, mas uma disputa de supercarros que andam sobre trilhos e que não podem sair mais que trinta centímetros de sua trajetória sem ir parar no guardrail mais próximo. Ninguém percebe que os carros dependem demais dos ganhos aerodinâmicos? não se chegou à conclusão que os pneus estreitos que foram introduzidos para diminuir a velocidade dos carros hoje servem para diminuir a capacidade de ultrapassagens dos carros?
Não preciso mencionar o câmbio semi-automático e o controle de tração e controle de largada...
Meu deus, queremos uma corrida, quando quisermos ver todo esse show de tecnologia iremos ao salão do automóvel.
Calma, é obvio que a Fórmula 1 é sobre a tecnologia de ponta e se sobressai por ser o cume dos avanços e investimentos no mundo das corridas de automóvel. Mas tudo tem um limite.
Me parece que se preocuparam demais com a comercialização do espetáculo a ponto de terem colocado em risco a própria graça do espetáculo. Alguem precisa frear essa corrida maluca das grandes montadoras. Queremos de volta as figuras atrás das equipes, os áses atrás do volante, e carros que pareçam pelo menos um pouquinho com carros. Esse lance de presidente de montadora dando as cartas, pilotos de laboratório e carros que quase andam sozinhos já quase me fazem acompanhar a Stock Car.
Sinceramente senão fosse Felipe Massa na disputa, Fórmula 1 talvez seria pra mim hoje aquela corrida de carros que tinha um brasileiro fantástico que morreu e deixou um alemão xarope ganhar tudo em cima do resto e que depois disso não vi mais.

Abraços

3 comentários:

Ron Groo disse...

Calma Sacker, Stock car também não né? Quanto ao alemão, o cara nao era xarope não.
Seja Bem vindo. Voce fez muita falta.

Felipe Maciel disse...

Faço das minhas as palavras do Groo.
A multi-bolha não, né...
E o Schumacher é o Schumacher! acho que deveríamos nos sentir orgulhosos de poder assistir um cara como ele fazendo o que fez. Pra mim, quando ele vencia tudo não era chato, pelo contrário, era uma parte incrível da história da F-1. Um piloto que superava todos os demais sempre.
É claro que quando tem disputa também é legal mas a hegemonia do Schumacher é algo bastante respeitável e admirável.

Maximo disse...

Sakher,

esse último parágrafo foi de uma "viuvês" sem tamanho. deu pra ver as lágrimas nos olhos. hahahahaha!

concordo com algumas coisas, por exemplo, o excesso de tecnologia matando a competição, mas a Formula 1 este ano está mais competitiva.
Foram vencedores diferentes em 3 corridas, um empate triplo na liderança do mundial e a volta das ultrapassagens.

Rubens e Coulthard parecem ter ressurgido, não para serem campeões, mas para mostrarem que não são o que dizem deles e sim bons pilotos, além da LINDA ultrapassagem do Heidfeld em cima do Alonso por fora....

Em resumo, tem defeitos, mas está melhorando.

Para não perder a viagem...
Groo e Felipe, as noivinhas do Shumacher!